TECNOLOGIA

Proprietário do Fb Meta perde recurso no tribunal russo por ‘atividade extremista’ Tag: Reportagem

Proprietário do Fb Meta perde recurso no tribunal russo por ‘atividade extremista’ Tag: Reportagem

[ad_1]

Um tribunal de Moscou rejeitou na segunda-feira um recurso apresentado pela Meta Platforms depois que ela foi considerada culpada de “atividade extremista” na Rússia em março, informou a agência de notícias TASS.



A Rússia restringiu o acesso às principais plataformas do Meta, Fb e Instagram, bem como à rede social Twitter, após Moscou enviar dezenas de milhares de tropas para a Ucrânia em 24 de fevereiro, uma medida que os críticos lançaram como um esforço da Rússia para exercer maior controle. sobre os fluxos de informação.

Em março, a Rússia disse que sua decisão extremista não afetaria o serviço de mensagens WhatsApp da Meta, concentrando-se no Fb e no Instagram.

A Meta não respondeu imediatamente a um pedido de comentário enviado por email. A advogada Victoria Shakina disse em março a um tribunal que Meta não estava realizando atividades extremistas e generation contra a russofobia.

A Rússia inicialmente baniu o Fb por restringir o acesso à mídia russa, enquanto o Instagram foi alvo depois que o Meta disse que permitiria que usuários de mídia social na Ucrânia postassem mensagens pedindo violência contra o presidente russo Vladimir Putin e as tropas que Moscou enviou para lá.

A Meta posteriormente estreitou sua orientação para proibir pedidos pela morte de um chefe de Estado e disse que sua orientação nunca deve ser interpretada como desculpando a violência contra os russos em geral.

A Rússia também se opôs ao tratamento de plataformas estrangeiras de sua própria mídia, algumas das quais carregam rótulos de serem ‘controladas pelo Estado’. O regulador estatal de comunicações Roskomnadzor também multou regularmente as empresas de mídia social que não excluem o conteúdo que a Rússia considera ilegal.

Um advogado que representa Meta disse na segunda-feira ao tribunal que se recusar a bloquear o acesso ao conteúdo e rotular a mídia controlada pelo Estado não eram atividades qualificadas como extremistas, de acordo com um repórter do Kommersant no tribunal.

A Reuters não pôde verificar essa conta de forma independente e o advogado não pôde ser contatado imediatamente. A decisão causou alguma confusão em março porque o serviço WhatsApp da Meta permaneceu disponível.

Além disso, os promotores disseram que os indivíduos não seriam cobrados simplesmente pelo uso dos serviços da Meta, que ainda são acessíveis por meio de redes privadas virtuais (VPNs).

De acordo com a decisão, ao se referir ao Meta na esfera pública, organizações e indivíduos são obrigados a incluir o aviso de que as atividades do Meta são proibidas em território russo.

© Thomson Reuters 2022


.

[ad_2]

Fonte da Notícia: gadgets360.com

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo